IDP

LAIPP

Laboratório de Avaliação & Inovação em Políticas Públicas

06 abr 2021

Caracterização dos Produtores Pecuários no México


Pesquisador: Adriano Valladão Pires Ribeiro

Título do artigo: CARACTERIZACIÓN DE GANADEROS Y UNIDADES DE PRODUCCIÓN PECUARIA BENEFICIARIOS DEL PROGRAMA DE ESTÍMULOS A LA PRODUCTIVIDAD GANADERA (PROGAN) EN MÉXICO

Autores do artigo: Juan A. Leos-Rodríguez, Angélica Serrano-Páez, José M. Salas-González, Pedro P. Ramírez-Moreno e Myriam Sagarnaga-Villegas

Localização da intervenção: México

Tamanho da amostra: 1033 produtores pecuários

Grande tema: Outros

Tipo de Intervenção: Efeito do programa de estímulo a pecuária

Variável de interesse principal: Caracterização dos produtores pecuários

Método de avaliação: Outro - Análise de Fatores

Problema de Política

A caracterização de uma atividade econômica ajuda tanto na formulação de políticas públicas para melhorá-lo quanto na recomendação e suporte ao setor privado. A criação de gado no México é uma importante atividade devido a sua relevância para a oferta de carnes e laticínios, produtos considerados básicos e estratégicos para a população.

Contexto da Avaliação

Em maio de 2003, após um período de desamparo com queda dos lucros e da competitividade na produção de gado, o governo mexicano lançou o Programa de Estímulo a Produtividade Pecuária (PROGAN, sigla em espanhol). O programa buscava dar suporte aos criadores de gado na forma extensiva. Contudo, sua implementação não levou em consideração as características dos produtores beneficiários, o que pode impactar a eficiência e os resultados do programa. Culminando, então, na falta de conhecimento das condições de uso dos recursos pelos produtores e na ausência de recomendações de melhorias e especificações ao programa.

Detalhes da Intervenção

Buscou-se, assim, a caracterização dos criadores de gado beneficiários do PROGRAN. A classificação dá ênfase nas variáveis econômicas e produtivas, considerando a alocação de recursos e o sistema de produção. Essa estratégia possibilita a distinção dos vários fatores que influenciam e impactam no desenvolvimento da atividade pecuária, permitindo a comparação dos produtores ao longo do tempo. Reconhece-se que, devido as diferenças sociais e econômicas entre os produtores, suas estratégias e medidas de produção podem variar, isto é, os produtores não formam um grupo homogêneo e as mesmas técnicas e práticas podem não ser apropriadas para os variados sistemas produtivos.

A atividade pecuária é de extrema relevância para o México, sendo, em 2007, o segundo maior exportador de gado para os Estados Unidos. As condições ecológicas do país facilitam o desenvolvimento da atividade produtividade por diferentes técnicas. Dessa forma, a caracterização das especificidades da atividade ganha ainda mais importância e a construção dos fatores produtivos relevantes se dá por meio de uma pesquisa, entre abril e julho de 2006, com 1033 produtores que se beneficiaram do programa.

Detalhes da Metodologia

O primeiro passo na classificação dos fatores relevantes da produção é feito usando o método conhecido como Análise de Componentes Principais, que identifica iterativamente as variáveis mais importantes e as seleciona para explicar o processo produtivo pecuário. Ou seja, busca-se extrair a informação relevante em alguns componentes dos dados obtidos na pesquisa com os produtores. Dentre as 37 variáveis analisadas, as maiores correlações obtidas foram entre a área de pastagem e de pastagem na estação seca na unidade de produção; o tamanho do rebanho de gado; o volume de produção e preços de venda; a dieta do gado; a infraestrutura da unidade de produção; o cumprimento de normas oficiais; a gestão e as condições sanitárias do gado; os registros de renda e gastos; a idade do produtor; a escolaridade do produtor; a principal fonte de renda; a renda mensal média; e a pessoa responsável pela unidade produtiva.

Após a identificação e redução do número de variáveis para 13, agregou-se ainda mais a informação disponível por meio da análise de fatores. Essa técnica permite expressar um grande número de variáveis em conjuntos menores, chamados fatores, de acordo com a variabilidade explicada. O exercício resultou na construção de 6 fatores responsáveis por explicar 80% da variabilidade das variáveis selecionadas anteriormente. O fator 1 está relacionado à produtividade da unidade de produção ao exprimir as variáveis relacionadas a área da terra, tamanho do rebanho, valor do gado, infraestrutura e a renda mensal média. O fator 2 inclui apenas a idade do produtor, o fator 3 pode ser interpretado como investimento ao juntar a dieta do gado e a força de trabalho da unidade de produção. O fator 4 compreende a administração da unidade produtiva, o fator 5 a principal fonte de renda e, por fim, o fator 6 expressa a conformidade com as normas e regulações. O último passo metodológico consistiu na construção da tipologia de cada produtor a partir da pontuação baseada nos fatores acima, isto é, fundamentado nos fatores, cada produtor recebeu uma nota dividindo-os em quatro tipos, que é a caracterização buscada pelo estudo.

Resultados

Os resultados apresentam as características de cada um dos tipos de produtor obtidos seguindo a metodologia da seção anterior.

Tipo 1: Engloba 341 pequenos produtores, com média de 8 hectares, 31 cabeças de gado e baixo valor de produção (insuficiente para ser a única atividade exercida), utilizam 35,2% do potencial de infraestrutura. Participa das campanhas sanitárias, porém seguem menos as normas ambientais. O indicador sobre a administração da unidade produtiva revela um baixo nível de conhecimento, tornando políticas de capacitação administrativas necessárias. Apresenta os produtores com idade e escolaridade mais baixas.

Tipo 2: Representa outros 175 pequenos produtores com médias de 12 hectares de terra, 46,5 cabeças de gado e uso de 36% da infraestrutura potencial. Consegue uma renda suficiente para o produtor viver da atividade. A participação em campanhas sanitárias é alta e cumprem mais normas ambientais. O nível de escolaridade médio é um pouco mais alto e indica a conclusão do ensino primário, porém o conhecimento administrativo é mais baixo e também requer treinamento.

Tipo 3: Reflete 448 produtores médios com médias de 16.5 hectares, 65 cabeças de gado e uso de 41,4% do potencial de infraestrutura. Participam menos de campanhas sanitárias quando comparados ao Tipo 2, porém com alta taxa de cumprimento de normas ambientais. Os produtores conseguem viver da produção pecuária, mas novamente com indicador de gestão e administração baixíssimo. A média de 60 anos de idade é a mais alta e a média de 4,5 anos de escolaridade a mais baixa.

Tipo 4: Exprime os 13 grandes produtores em que o tamanho da terra é de 110 hectares, possuem 584 cabeças de gado e usam 64% do total da infraestrutura. A adesão a campanhas sanitárias é baixa, contudo, possuem os maiores níveis de cumprimento de normas ambientais. A pontuação quanto a modernidade da administração é alta e a escolaridade do produtor indica a conclusão do ensino secundário.

Lições de Política Pública

A principal lição do estudo é ressaltar a importância de se caracterizar o público-alvo e os beneficiários de uma política pública para determinar se o programa adotado está cumprindo com seus objetivos. O estudo apresentado identificou quatro tipos diferentes de produtores pecuários no México assistidos pelo mesmo programa governamental. As informações obtidas podem então serem usadas tanto na formulação de novas políticas quanto em melhorias do programa já implementado.

Referência

LEOS-RODRÍGUEZ, Juan A. et al. Caracterización de ganaderos y unidades de producción pecuaria beneficiarios del programa de estímulos a la productividad ganadera (PROGAN) en México. Agricultura, sociedad y desarrollo, v. 5, n. 2, p. 213-230, 2008.

Cursos
Livres

No IDP você encontra cursos livres on-lines sobre os principais assuntos de Comunicação, Gestão, Economia e Direito.

SAIBA MAIS

CONTATO

SGAS Quadra 607 . Módulo 49 . Via L2 Sul - Brasília-DF - CEP 70200-670

(61) 3535.6565

laipp@idp.edu.br