IDP

Ferramentas de acessibilidade

VLibras


O PMPE do IDP destaca-se pelo alto grau de inserção social em diversas esferas da sociedade. Essa inserção manifesta-se em inúmeras atividades de pesquisa e extensão realizadas pelo Programa ao longo dos anos de 2019 e 2020. O principal exemplo de impacto econômico e social do PMPE consiste no teor das dissertações de mestrado desenvolvidas, sempre priorizando uma aplicação prática, que resolva um problema socioeconômico concreto. Dessa forma, os discentes e egressos são direcionados para uma forte participação na sociedade, com atuação no debate público e visando ao desenvolvimento econômico do país.

Esse impacto econômico, social e cultura do PMPE é especialmente destacado pelo fato de os discentes serem, quase sempre, profissionais com atuação relevante em órgãos públicos ou entidades do setor privado com próxima relação ao setor público. Assim, os conhecimentos adquiridos no PMPE transbordam em impacto direto e rápido nas instituições em que atuam. Conforme já descrito anteriormente, os discentes do PPI atuam em bancos públicos, ministérios do governo federal, secretárias estaduais, agências reguladoras, CADE, entre outras instituições importantes.

Outro exemplo que denota o impacto econômico e social do Programa consiste nos cursos de formação gratuitos e abertos à sociedade.

A seguir, explicamos brevemente as duas mais importantes iniciativas de capacitação à sociedade realizadas pelo PMPE durante o biênio de atividade do programa.

Cursos de Formação Gratuitos e Abertos à Sociedade

Espaço Aberto

Em 2019, o Programa de Mestrado Profissional em Economia do IDP, em parceria com o Programa de Mestrado em Administração Pública da instituição, lançou o “Espaço Aberto IDP”, que teve como objetivo oferecer minicursos gratuitos e abertos ao público nas áreas de administração pública, economia e direito.

No primeiro ano do projeto, entre setembro e novembro de 2019, foram realizados 10 (dez) minicursos semanais, realizados presencialmente no IDP às quartas-feiras. Todos os cursos eram 100% gratuitos e abertos ao público. Os cursos foram ministrados majoritariamente por professores dos programas de Mestrado Profissional em Economia e em Administração Pública do IDP. Em 2019, participaram da iniciativa os seguintes professores do PMPE: Sérgio Jurandyr Machado, Leonardo Monteiro Monastério, Guilherme Mendes Resende e Pedro Fernando Nery.

Ao todo foram mais de 2 mil inscritos, sendo que a página do evento foi acessada quase 17 mil vezes ao longo das 10 semanas em que o curso foi realizado (entre setembro e novembro de 2019).

Para aumentar a visibilidade e a efetividade da difusão de conhecimento proporcionada pela iniciativa, o IDP gravou e disponibilizou todos os encontros de forma online no site criado para o projeto (http://espacoaberto.idp.edu.br).

Na segunda fase do projeto, realizado no 1º semestre de 2020, em virtude da pandemia do Covid-19, os primeiros minicursos do Espaço Aberto IDP foram oferecidos em transmissões online, sempre de forma pública e gratuita. Nessa fase, foram oferecidos, no total, 12 cursos, contando por exemplo com a participação do coordenador do PMPE José Luiz Rossi Júnior e com Carlos Eduardo Gasparini, por exemplo.

Nos cursos do Espaço Aberto IDP em 2020, foi dada ênfase aos impactos da pandemia na economia brasileira. A emergência desta temática, cujos efeitos se fizeram sentir em uma escala global, fez parte da agenda do Programa de Mestrado Profissional em Economia do IDP, que através da oferta pública e gratuita dos minicursos buscou oferecer subsídios para o aprofundamento do debate em torno das implicações políticas e econômicas que a pandemia tem causado no Brasil. Até o momento foram quase 3 mil visualizações no YouTube dos cursos ministrados no Espaço Aberto IDP.

Open Class

No 2º semestre de 2020, motivado pelo sucesso do Projeto Espaço Aberto e pela percepção da importância que uma instituição de ensino tem a desempenhar em um contexto de grave crise sanitária, econômica e social, o PPG decidiu ampliar o projeto Espaço Aberto. Foi criado então o “Projeto Open Class”, que se diferencia de seu antecessor em três características importantes: i) os cursos oferecidos são de média duração (em média, 10 horas por curso); ii) o projeto foi ampliado para outras áreas do IDP, especialmente para as áreas de comunicação e do direito; iii) para alguns cursos, foram convidados professores de fora do IDP. Foram mantidas, contudo, duas características fundamentais: os cursos continuaram totalmente abertos à sociedade e 100% gratuitos.

Diante da conjuntura de recessão, incerteza e paralisação de diversas atividades essenciais, o Projeto Open Class foi uma forma inovadora que o PPG encontrou de contribuir diretamente para a sociedade, por meio da oferta de conteúdo científico de alta qualidade em diversos temas relacionados a economia, gestão pública, comunicação e direito.

Apesar de toda adversidade provocada pela pandemia do novo Coronavírus, o “Open Class” constituiu, portanto, uma oportunidade de ampliação de acesso a cursos gratuitos sem precedentes na história do IDP a estudantes de todo o Brasil, por meio de aulas online. O projeto tem se mostrado um sucesso sem precedentes. Somente os cursos de economia e gestão, cuja organização está sob responsabilidade do PMPE em parceria com o PPG em Administração Pública do IDP, reuniu cerca de 19 mil participantes ao vivo em 2020. São mais de 16 mil horas de aula, distribuídas em 128 aulas e com aproximadamente 80 professores envolvidos. O curso é avaliado com 86% de aprovação/satisfação do público participante. Assim como em sua versão anterior, todos os cursos do projeto Open Class ficam disponíveis no site do IDP para acesso posterior (mais informações e detalhamento podem ser acessados no dashboard de avaliação do Open Class - https://bit.ly/3nAt1Tb).

O projeto tem buscado incluir em sua pauta diversos temas relevantes, contemporâneos e atuais, relacionados, por exemplo, à inclusão social (como os cursos de Diversidade, Inclusão e Políticas Públicas e de Renda Básica Cidadania) e à inclusão de gênero (como o curso Mulheres e Liderança, que contou com mais de 1.200 inscritos).

Laboratório de Avaliação e Inovação em Políticas Públicas (LAIPP)

Durante o biênio, o PPG lançou de forma pioneira no país o Laboratório de Avaliação e Inovação em Políticas Públicas (LAIPP - https://www.idp.edu.br/laipp). O LAIPP tem como objetivo estratégico formar uma grande rede de pesquisadores de diversas instituições do Brasil, construindo um ambiente colaborativo cujo impacto potencial é fazer chegar aos gestores públicos o conhecimento dos impactos encontrados em experimentos publicados nos mais conceituados journals científicos internacionais.

O LAIPP parte de um diagnóstico: grande parte do conhecimento científico, particularmente em avaliação de políticas públicas, não possui influência efetiva no desenho e no redesenho de políticas públicas do País por conta da dificuldade de gestores públicos acessarem esse conhecimento. São diversos os obstáculos potenciais: a complexidade dos modelos estatísticos e econométricos, a pluralidade de periódicos em que esses trabalhos são publicados, o conhecimento de línguas estrangeiras, entre outros.

Visando preencher a lacuna entre o conhecimento gerado por meio de avaliações de políticas públicas cientificamente rigorosas e o conhecimento utilizado para implementação de políticas públicas e programas sociais no País, a rede de pesquisadores do LAIPP busca sintetizar, em linguagem clara, acessível e intuitiva, artigos científicos que buscaram avaliar políticas e programas no Brasil e no exterior. O objetivo central do LAIPP é, portanto, auxiliar profissionais da gestão pública na tomada de decisões por meio da disseminação de conhecimento científico sobre políticas públicas em linguagem de fácil assimilação para o público amplo. Inspirado em iniciativas como o Abdul Latif Jameel Poverty Action Lab (J-PAL), o LAIPP tem servido ao propósito fundamental de conectar as evidências de estudos acadêmicos rigorosos com a tomada de decisão por agentes públicos na administração pública brasileira.

Os produtos do LAIPP incluem artigos com resumos dos achados de estudos empíricos publicados em revistas acadêmicas de alto impacto. Esses artigos são redigidos em linguagem acessível por economistas e pesquisadores especializados em estudos empíricos. Com uma rede própria de pesquisadores, a iniciativa sintetiza, em linguagem clara, acessível e intuitiva, trabalhos e avaliações de políticas públicas nas mais diversas áreas do conhecimento, realizados no Brasil e no mundo. Seguindo um método planejado, cada publicação detalha e explica as principais descobertas científicas em cada artigo, de modo a reduzir ou eliminar os empecilhos inerentes à leitura de pesquisas com alto nível de complexidade. Assim, espera-se diminuir a distância existente entre debates acadêmicos e o entendimento da sociedade como um todo.

Até o presente momento, o laboratório conta com nove colaboradores, sendo três coordenadores e seis pesquisadores, todos com titulação mínima de mestre, englobando profissionais de cinco universidades federais brasileiras (UFG, UnB, UFPel, UFPB e UFMG). Desde sua fundação, foram sintetizados e publicados 67 artigos científicos, duas vezes por semana, de modo que a expectativa é de que a iniciativa supere uma centena de publicações até o final de 2021. Até o momento, o blog do LAIPP registrou 8486 acessos.

Podcasts

Uma vertente importante adotada pelo PPG para aumentar seu impacto social foi o aumento da oferta de conhecimento gratuito para a sociedade. Vimos como essa vertente se traduziu na oferta de diversos cursos de capacitação abertos e 100% gratuitos. Outra iniciativa nesse mesmo sentido foi o lançamento de podcasts.

O projeto de podcasts do IDP foi lançado pelo programa de Mestrado Profissional em Economia do IDP. O primeiro podcast lançado no âmbito do projeto foi o “Economisto”, voltado diretamente para as áreas de administração pública e economia. Conduzido pelo NDP Pedro Nery e tem como objetivo discutir temas relacionados à economia e às políticas públicas. Na primeira temporada, o tema foi desigualdade. Acadêmicos, juristas e formadores de opinião conversam sobre como construir um País mais justo. Atualmente, o podcast já conta com mais de 30 episódios e com média superior a 1.500 ouvintes semanais. Os episódios e os convidados pelo podcast podem ser consultados pelo link: https://www.idp.edu.br/podcasts/economisto

Outro Podcast lançado pelo programa foi o Ctrl+Enter. Liderado pelo NDP Leonardo Monteiro Monastério, o Podcast aborda o compartilhamento de estratégias e desafios sobre a utilização de dados em pesquisas com os melhores profissionais do setor privado, governo, ONGs e academia sobre as dores e as delícias de trabalhar com dados hoje. Até o momento foram ao ar 14 episódios, compreendendo os mais diversos temas e contando com a participação de pesquisadores de renome nacionais e internacionais.

A página do podcast, com os seus episódios podem ser conferidos pelo link: https://www.idp.edu.br/podcasts/ctrl-enter

A REGEN Revista de Gestão, Economia e Negócios

Cumprindo um dos aspectos considerados mais relevantes, o PPG lançou, em 2020, a REGEN Revista de Gestão, Economia e Negócios. Com publicações semestrais e um amplo espoco envolvendo economia, administração, finanças, gestão pública e demais temas relacionados às Ciências Sociais Aplicadas, as duas primeiras edições foram lançadas em 2020 e o periódico conta com o ISSN 2676-0185. A expectativa é que se observe gradativamente uma melhor classificação nos estratos Qualis. O periódico leva o nome de Revista de Gestão, Economia e Negócios, mesmo nome da Escola que congrega os programas profissionais de Economia e Administração Pública do IDP.

O Boletim Economia Empírica

No início de 2020, criou-se o Boletim Economia Empírica, que é o periódico oficial do Grupo de Pesquisa em Economia Empírica. Sob ISSN 2675-3391, a publicação possui frequência bimestral e tem se afirmado como um importante espaço de debate e discussões da agenda econômica e da administração pública brasileira através de artigos, textos para discussão e pareceres técnicos que evidenciam o caráter profissional dos Programas em Economia e em Administração Pública. Alguns discentes e egressos do Programa de Administração Pública publicaram textos inéditos neste periódico, que de forma exitosa vem divulgando a produção bibliográfica e técnica dos programas profissionais de Economia e Administração Pública do IDP, além da produção científica externa.

Convênios e Parcerias

O MPE também inclui uma série de convênios com outras instituições, os quais revelam a capilaridade do IDP em meio aos setores da economia e ao mercado de trabalho mais amplo. Listamos abaixo alguns desses convênios vigentes durante o ano de 2020.

● AFIPEA - Associação dos Funcionários do IPEA
● ANTC - Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil
● ANEINFRA - Associação Nacional de Analistas de Infraestrutura
● ANESP - Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental
● ANFIP - Associação Nacional do Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil
● ASSECOR - Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Planejamento e Orçamento
● BANCORBRÁS - Bancorbrás Hotéis e Turismo Ltda
● FEDERAL CLUBE - Federação Nacional dos Policiais Federais
● UNAREG - União Nacional dos Servidores de Carreira das Agências Reguladoras Federais

Ainda mais relevante, ao longo dos 2 anos de atividade, o programa estabeleceu uma série de parcerias com órgãos públicos, que, periodicamente, têm enviado servidores para se capacitarem no PPG. Ao longo do tempo de atividade do programa, foram mais de 30 financiamentos, oriundos de 20 diferentes instituições.

Translate